Bate papo com a escritora Marília Arnaud

Foto-de-Rosa-Aguiar.jpg

Ela é finalista do Prêmio Kindle, da Amazon

A escritora paraibana Marília Arnaud vem se consagrando nacionalmente e está entre os cinco finalistas do prêmio Kindle, da Amazon, com o romance “Pássaro Secreto”. Ela é formada em Direito, e já recebeu outros prêmios com seus contos e romances. Iniciou a carreira nos anos 1980 escrevendo em jornais locais. É autora dos livros Sentimento Marginal, (Independente, 1987), A menina de Cipango (UFPB, prêmio José Vieira de Melo, 1994) Os campos noturnos do coração (UFPB, Prêmio Novos Autores), Suíte dos Silêncios, (Rocco, 2012) e Liturgia do Fim (Tordesilhas, 2016) entre outros.

Você vem despontando na literatura brasileira com uma certa constância na sua produção. Como você define a sua literatura?

– Uma literatura intimista, de natureza psicológica, com ênfase nos dramas familiares e sentimentos dos personagens.

. Dizem que escrever um livro é como ter um filho, com o período de gestação, preparação e o nascimento. Você concorda?

– Em parte. Quando um livro é publicado, e cai no mundo, quase esqueço dele. Ele deixa de ser meu para ser dos leitores. Com um filho é diferente, porque, mesmo quando ele parte, quando sai de casa para ter a própria vida, a mãe, a criadora nunca relaxa, seu coração o segue por toda parte, numa preocupação amorosa que um livro, ao menos para mim, deixa de ter com a sua publicação.

. A propósito, como é o seu processo de criação?

– Acho a criação artística algo misterioso, difícil de ser explicado com palavras. Imaginação, memória, leituras, tudo fermenta dentro de mim até o momento em que certa história pede para ser contada. Sou muito intuitiva. Deixo fluir. Cerebral, só o trabalho com a linguagem.

. Conte-nos sobre o novo livro, “O Pássaro Secreto”.

– “O pássaro secreto” é narrado por Aglaia Negromonte, uma mulher que nos conta sua infância e adolescência numa família disfuncional. Alguns leitores poderão enxergar Aglaia como alguém com um sério distúrbio de personalidade. Outros a verão como uma menina/mulher extremamente sensível, com certa fragilidade psíquica, que acaba por se tornar vítima dos problemas enfrentados pela família.

. Você é autora de contos e romances. Vai se dedicar aos romances agora?

– Ainda escrevo contos, embora isso aconteça raramente. Nos últimos dez anos tenho me dedicado mais à escritura de romances.

“Pássaro Secreto” é um dos cinco finalistas do prêmio Kindle, da Amazon. O que significa pra você?

– Ter “O pássaro secreto” como finalista do Prêmio Kindle me parece o reconhecimento do valor do que tenho feito nos últimos trinta anos da minha vida, uma combinação de trabalho, persistência e sorte.

– Soube que já está escrevendo mais um livro …

– Sim, estou escrevendo um novo romance. Em meio a tantas perdas e tristezas, a pandemia me trouxe essa alegria, tempo para escrever.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top