Capacitação no artesanato

14.03.14_FEIRA_DE_ARTESANATO_FOTOS_ROBERTO_GUEDES_109.jpg

Programa Eu posso criar já está em prática


A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedest) de João Pessoa vai colocar em prática vários programas para fomentar a cadeia produtiva na Capital, gerando emprego e renda. Um desses é o ‘Eu Posso Criar’, destinado ao fortalecimento da moda autoral, que trará ainda mais reconhecimento e oportunidade aos produtores locais. Nessa proposta, um curso de capacitação no setor do artesanato já está acontecendo, tendo como ministrantes renomados artistas da região Nordeste.
 
O curso, que acontece no Celeiro Espaço Criativo, no Altiplano, é realizado em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com o apoio do Programa do Artesanato Paraibano (PAP) e da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).
 
“É uma alegria imensa estarmos reiniciando as atividades presenciais e já realizando um evento de importante impacto para a qualidade dos produtos desenvolvidos de nosso artesanato local. Estamos montando um calendário de ações e em breve iremos disponibilizar novas oportunidades ao nosso mercado”, ressaltou Vaulene Rodrigues, secretária da Sedest.
 
Este curso irá formar multiplicadores, tendo como meta a criação de uma nova oferta qualificada de produtos artesanais com referência cultural para João Pessoa. Estão sendo capacitados 20 artesãos da Capital e de cidades vizinhas, sob a coordenação de quatro designers com vasta experiência no artesanato nacional.
 
“João Pessoa é um celeiro de criatividade, onde o artesanato é um dos carros chefes da nossa cultura. Formar multiplicadores aumenta e fomenta esta técnica milenar que tanto nos orgulha”, afirmou a secretária da Sedest.
 
Os artesãos que participam da qualificação estão tendo aulas de cerâmica, couro, madeira e estamparia com Túlio Paracampos, do Ceará; escamas, fibras, sementes e reciclados, com Laila Assef, da Bahia; e bordados, rendas e trançados, com Renato Imbrosi, de São Paulo, e Luí lo Pumo, do Rio Grande do Sul.
 
“A ideia de fazer este curso surgiu dos próprios artesãos. Foi feita uma pesquisa, com o apoio da UFPB, para saber de suas necessidades e carências. E um dos principais resultados foi a necessidade do apoio para o desenvolvimento de novos produtos”, explicou Eduardo Barroso, idealizador do curso.
 
Para marcar o encerramento do curso, na próxima sexta-feira (13), será apresentada a coleção criada. O evento ocorre às 16h, na sede do Sebrae Paraíba, no Bairro dos Estados.
 

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top